(Esta é a primeira postagem inédita neste novo blog do T&B. As demais, antes dessa, foram tiradas de um blog antigo. Eu as trouxe para cá por gostar muito delas.)

Em um site chamado Teologia & Beleza, é imprescindível definir-me teologicamente. Então vamos lá. Sou cristã presbiteriana, reformada e calvinista da gema, algo girardiana, cem por cento vantiliana e triperspectivalista, além de eterna aprendiz da filosofia reformacional dooyeweerdiana. Explico.

Sou reformada e calvinista em vez de pentecostal e arminiana, mas sem ser antipentecostal. Aliás, converti-me em meio pentecostal e não me considero cessacionista ao pé da letra, embora reconheça o abuso que algumas igrejas fazem em relação a dons extraordinários.

Sou algo girardiana, ou seja, tenho muitas ressalvas em relação ao que me parece uma teologia cristã frouxamente cosida na obra de René Girard, bem como em muitas de suas análises bíblicas. Porém, acho genial sua antropologia, com muitos momentos de verdade bíblica. Girard me ensinou muito! Sua teoria mimética sempre terá lugar cativo no modo com que enxergo o mundo, o outro e a mim mesma.

Sou cem por cento vantiliana e triperspectivalista. Não consigo ler Cornelius Van Til ou John Frame sem ficar emocionada e louvar muito a Deus.

E sou aprendiz de Dooyeweerd, pois o bichinho holandês é difícil mesmo! Um de meus objetivos com o Teologia & Beleza é explorar melhor o aspecto estético, aplicando sua compreensão a várias esferas de beleza na vida: teológica, artística e pessoal.

Com a exceção de Girard, que conheci na graduação em Letras da UFRJ, os autores que cito aqui me foram apresentados ao longo do mestrado em Teologia Filosófica do Centro de Pós-Graduação Andrew Jumper, mais especificamente nas aulas de Davi Charles Gomes, um querido amigo a quem sempre serei grata.

Leave a Reply

Deseja receber novidades no seu email?